“É a área que traz mais investimento ao país”

Conforme antecipado pela BE Petróleo, Márcio Félix é nomeado secretário de Petróleo e Gás do MME e já lista desafios para nova gestão

Márcio Félix é o novo secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia. A nomeação do executivo foi antecipada com exclusividade pela BE Petróleo na semana passada e publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (14/1).

Junto com a nomeação de Félix foi publicada a exoneração de João Vicente Vieira, atual secretário da pasta. Márcio Félix foi secretário de Petróleo durante a gestão do ex-ministro Fernando Bezerra Filho, tendo assumido o cargo de secretário executivo do MME na gestão Moreira Franco.

Sobre os planos que têm pela frente, o novo secretário de Petróleo e Gás listou uma série de medidas. “Tem muita coisa pela frente, é a área que mais atrai investimentos para o país. Vamos ter a abertura do setor de refino, o fim do ciclo de planejamento e execução do Renovabio, as medidas do gás e todos os leilões”, afirmou Félix à BE Petróleo.

Novo secretariado

A expectativa original era de que o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque Júnior, anunciasse até a sexta-feira (11/1) o nome de Félix, junto com os dos outros secretários da pasta. Reive Barros, atual presidente da EPE, é dado como certo para assumir a Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético, mas sua nomeação não foi publicada ainda no DO.

A escolha pelo nome de Félix começou a ser costurada há cerca de uma semana e meia. Visto com respeito pelo mercado, a indicação de Márcio Félix acalma o setor e assegura um nome com conhecimento da indústria dentro do MME.

A estratégia de indicar nomes do governo anterior pode passar a ser uma estratégia do governo Jair Bolsonaro para solucionar a dificuldade na ocupação dos cargos chave. Os processos de checagem de nomes na Casa Civil têm se acumulado e internamente já há quem defenda essa opção como a melhor solução.

Félix respondia pela pasta da Secretaria Executiva do ministério desde junho de 2018 e deixou o cargo no dia 2 de janeiro, depois que o ministro Bento Albuquerque Júnior indicou Marisete Fátima Dadald Pereira para ocupar o cargo que até então ocupava. O executivo havia sido convidado, na gestão Moreira Franco, para assumir a vaga de secretario executivo, substituindo Paulo Pedrosa.

Desde o início do ano, Félix retornou ao quadro de funcionários da Petrobras, empresa pela qual estava cedido desde junho de 2016, quando assumiu o cargo de secretário executivo de Petróleo na gestão do ex-ministro Fernando Coelho Filho. Havia rumor de que o ex-secretário pudesse ser nomeado presidente da empresa de gás do Espírito Santo, cuja criação é estimada para ocorrer ainda neste semestre. Na petroleira, o executivo permanece sem função definida.

 

você pode gostar também